Mucugê – Chapada Diamantina Bahia

Se você ama trilhas, cachoeiras, ficar em meio à natureza e ainda gosta de estar em uma cidade estilo antigo com casinhas coloridas e ruas de pedras da época da mineração, vai amar a cidade de Mucugê.

Mucugê é uma cidade da Bahia tombada como patrimônio nacional pelo IPHAN e é rodeada de montanhas, teve sua construção iniciada na época da descoberta e exploração do diamante por volta de 1844, também nessa cidade fica o Cemitério Bizantino.

Mucugê - Bahia
Mucugê – Bahia, 2019. Fotos: Alda Resende (Vivenciasforall)

A cidade de Mucugê está localizada na Chapada Diamantina região da Bahia, distância aproximada da Capital Salvador é de 478 km, a estrada em boas condições, um grande trecho é percorrido por rodovias federais (BR324 e BR242). É uma cidade rica em natureza, belas paisagens, ideal para trekking e acampamentos, e também fotografia. Sempre que posso visito essa cidade, e em 2019 estive por lá no Festival de Forró da Chapada, e foi magnífico, o evento contou com grandes atrações como Mestrinho, Mariana Aydar, entre outros, também o sanfoneiro Targino Godin que é o grande idealizador da festa.

Abaixo segue vídeo que eu fiz nessa linda cidade e na trilha da Cachoeira do Tiburtino que dá para fazer mesmo sem carro, pois o início da trilha é bem próximo à entrada da cidade.

Vídeo – Cidade de Mucugê Bahia e Cachoeira do Tiburtino

 

Espero que desfrutem e saibam que esse é apenas um detalhe da rica região da Chapada Diamantina, pois tem outras cidades próximas como Lençóis, Andaraí, Ibicoara, Igatu, entre outras, que merecem sua visita.

Feliz 2020!!!

Paulo Afonso – Bahia e o Rio São Franciso

Cidade de Paulo Afonso – BA

Paulo Afonso é uma cidade baiana cuja vegetação predominante é a caatinga. O auge do seu território é a presença marcante do Rio São Francisco e o complexo Hidroelétrico existente. A Usina de Paulo Afonso foi inaugurada em 1955. A história sobre a criação pode ver aqui 

Conforme dados da Prefeitura Municipal: O Rio São Francisco é ainda o marco que separa os Estados da Bahia e Alagoas, Bahia e Pernambuco e Alagoas e Sergipe. A distância da cidade de Paulo Afonso é 460 quilômetros de Salvador, 480 quilômetros de Recife, 380 quilômetros de Maceió e 280 quilômetros de Aracaju. Acesso principal pela BR110 e finalizando pela BA210.

A cidade Paulo Afonso possui boa estrutura hoteleira e de restaurantes, também poderá encontrar bancos e rede de supermercados, porém o ponto alto do turismo é a prainha, uma orla onde os cidadãos ficam apreciando o Rio São Francisco e que possui diversas barracas com petiscos e bebidas.

Nesse local também é realizada a Copa Vela, competição anual de barcos à vela, que ocorre sempre na semana do feriado de 7 de setembro.

Ponte metálica D. Pedro II

Liga os estados Bahia e Alagoas. De um lado a cidade de Paulo Afonso na Bahia e do outro cidade de Delmiro Gouveia no estado de Alagoas. Tem uma vista incrível e poderá ver a Hidroelétrica de Paulo Afonso no final do Cânion.

Ponte Metálica D. Pedro II sobre o Rio São Francisco. Paulo Afonso Bahia
Ponte Metálica D. Pedro II sobre o Rio São Francisco. Paulo Afonso – Bahia

Cidade de Canindé do São Francisco

Saindo de Paulo Afonso – Bahia em direção à Hidroelétrica de Xingó está a cidade de Canindé do São Francisco, que é pequena mas possui posto de gasolina, supermercados e outras conveniências para uma parada estratégica. O ponto forte é o balneário com restaurantes próximo ao trevo que possui as estátuas de Lampião e Maria Bonita (vale uma foto).

Passeio de Catamarã e restaurante Karancas

Seguindo as placas, após a hidroelétrica de Xingó, verá a estrada que dá acesso ao local para o embarque relativo ao passeio de Catamarã. Nesse local fica o Restaurante Karrancas. O valor do buffet livre é R$39,90, caso deseje fazer o passeio pelo Cânion do Rio São Francisco o almoço já estará incluído. Caso não queira fazer o passeio recomendo almoçar em outro lugar, pois não achei que o custo/benefício/qualidade da comida vale a pena, mas a estrutura é excelente.

Este slideshow necessita de JavaScript.

E aí ficou curioso (a) para conhecer Paulo Afonso (BA)? Vá de carro para explorar bem a região. Rende boas fotografias.

Depois nos conte como foi sua passagem por lá. Não esqueça, para receber novidades coloque seu e-mail no campo SEGUIR.

Viagem à Bahia | Chapada Diamantina

A Chapada Diamantina é uma região no centro da Bahia com diversas formações rochosas, cachoeiras e paisagens inacreditáveis. A cidade mais famosa é Lençóis, pois lá já foi cenário de novelas e filmes e também conta com boa infraestrutura, na região Lençóis é a que possui maior quantidade de vagas para hospedagem e restaurantes.

Entre as cidades que fazem parte da região as mais visitadas são: Lençóis, Andaraí, Mucugê, Palmeiras, Iguatu, Itatim, e ainda tem o Vale do Capão. Lhe digo que em apenas um post não dá para falar tudo que a Chapada Diamantina possui, por isso preparem-se pois farei outras postagens a respeito desse lugar tão abençoado por paisagens naturais, grutas e diversas quedas d’águas (cachoeiras). A Chapada Diamantina é ideal para quem deseja contato com a natureza, fazer trilhas e tomar banhos de cachoeiras.

Quando fui me hospedei no Portal Hotel Lençóis na cidade de Lençóis, em outra viagem  fiquei em Andaraí na Pousada Andaraí.

Andaraí - Bahia
Andaraí – Bahia. Foto: AJ Imagem

Na região existem muitas áreas geológicas e paisagens naturais. Ideal para os amantes da fotografia de paisagens.

De Salvador para Lençóis são 425Km, uma boa parte por rodovias federais em ótimo estado, após a BR 324 vai seguindo por Feira de Santana e seguirá para a BR 242, tem um mapa da rota aqui nesse site. Algumas cidades tem acesso por estradas de terra, como por exemplo: o Vale do Capão, mas a maioria das cidades da Chapada Diamantina tem boas estradas pavimentadas e sinalizadas.

Itatim City - Bahia
Itatim City – Bahia. Foto: AJ Imagem

No verão é bastante seco e quente, no inverno é chuvoso e a temperatura cai um pouco, porém o período em que ocorrem mais visitas turísticas são nos meses de novembro a fevereiro. Em Lençóis há o Festival de Inverno que em 2016 ocorreu no mês de outubro e contou com grandes atrações musicais. Como podem perceber existem muitas coisas a desfrutar na Chapada Diamantina.

O que está esperando? Planeje sua próxima viagem para conhecer a Chapada Diamantina. Dúvidas ou sugestões escreva nos comentários.

Arquipélago Fernando de Noronha – relato de viagem – parte 2

Continuando o relato da viagem ao Arquipélago de Fernando de Noronha pois fiquei 5 dias por lá, e é inacreditável como há muitas atividades (passeios, trilhas) a fazer. Como eu havia escrito aqui, contratei passeio turístico por terra e via mar. Já descrevi sobre o tour e agora irei relatar como foi o passeio de barco pela costa do mar de dentro de Fernando de Noronha.

Às 8 da manhã o guia foi me buscar na pousada e no carro já estava o grupo que havia feito o passeio no dia anterior, foi bastante animadas as conversas e gargalhadas ao nos reencontrar.

Saímos do Porto de Santo Antônio, e logo no início do passeio os golfinhos acompanharam o barco, seguimos navegando até o Rochedo denominado Rugido do Leão, que tem esse nome porque o barulho causado pelo choque das águas com a caverna faz ecoar um som alto parecido com o rugido de um leão. Somente pode ser avistado por mar. O barco vai até a Ponta da ilha principal chamada Ponta da Zapata, cheia de vegetação nativa, não é adequada para banho, mas a vista é muito bonita pois uma abertura na falésia, chamada de portão, se parece demais com o formato do mapa do Brasil (veja a foto abaixo). Depois desse lugar o barco retorna para banho e mergulho na Baía do Sancho.

Fernando de Noronha Pernambuco
Fernando de Noronha Pernambuco. Foto: AJ Imagem

“Fernando de Noronha um dos lugares mais lindos que já vi”

O passeio de barco pelo mar de dentro de Fernando de Noronha dura metade do dia, mas vale muito a pena, pois as paisagens são fantásticas. No retorno ficamos na praia perto do Porto e teve demonstração do Projeto Tamar com a captura intencional da tartaruga marinha para monitoramento e depois soltura. Os biólogos explicam tudo enquanto fazem os procedimentos.

Na parte da tarde fizemos a trilha para a Baía dos Porcos, pegamos um ônibus que nos deixou pouco depois da sede do Projeto Tamar e fomos caminhando pela areia passamos pela Praia da Cacimba do Padre, onde fica o famoso Morro Dois Irmãos, depois chegamos à Baía dos Porcos considerada a segunda praia mais bonita do Brasil, essa pequena praia de acesso difícil mas excelente para mergulho e ficamos atentos à maré, pois se subisse muito não poderíamos voltar pelo mesmo caminho.

O projeto Tamar de Fernando de Noronha promove palestras gratuitas quase todas as noites, e na segunda-feira que eu estava lá teve a palestra de Henrique Pistilli, o Homem Peixe do canal Off. O jantar foi pizza na “Sabor de Noronha” na Vila do Remédios.

Uma dica: existem várias trilhas a fazer na Ilha, porém têm acesso controlado e podem ser agendadas no CMBIO (trilhas Atalaia, Abreus e Morro São José Caieiras) aconselho ir o quanto antes para realizar o agendamento, o ideal é assim que você chegar à ilha, para garantir a vaga, pois a depender da demanda pode não conseguir antes do dia do seu voo de saída da ilha.

Enfim… mesmo cansados pelas caminhadas e mergulhos… à noite terminou assistindo ao Maracatu no Bar do Cachorro, afinal não é todo dia que estamos em Fernando de Noronha.

Espero que as informações ajudem ao seu plano de viagem, caso tenha dicas escreva aí nos comentários.

Dicas sobre visitar o Arquipélago de Fernando de Noronha – relato de viagem – parte 1

Este post é para viajantes independentes como eu, não tenho nada contra viagens organizadas, mas pessoalmente prefiro ir de forma independente, pois realizo os passeios conforme for me interessando pelo lugar. Não quero dizer que não faço um plano prévio sobre o que fazer durante a viagem, mas nada muito engessado. Esta foi uma viagem que fiz sozinha, e vou contar como foi fantástica e que fiz tantas amizades que não fiquei solitária em momento algum. 

Fernando de Noronha é um arquipélago brasileiro do estado de Pernambuco. Possui área de 26 km², e distância até a capital Recife é de 545 Km, acesso por barco (cerca de 3 dias) ou via área. O voo dura cerca de 1 hora de Recife para a Ilha. Existe uma taxa de preservação ambiental a ser paga quando se chega à Fernando de Noronha, essa taxa varia conforme a quantidade de dias de estadia e pode ser paga no site oficial antes da chegada, eu fiz isso porque agiliza bastante o desembarque, pois não precisa ficar na fila esperando para pagar e preencher o formulário quando descer todos os passageiros do voo. O site oficial de Noronha Estado de Pernambuco pode acessar aqui.

Fiz a reserva da Pousada no booking (nesse outro post ensino a fazer reservas on line) e optei por ficar no centro na Vila dos Remédios onde poderia fazer tudo a pé. A maioria das pousadas tem categoria tipo 3 estrelas e oferece o transfer gratuito aeroporto/pousada/aeroporto. A Vila dos Remédios fica a poucos passos da Praia da Conceição, Praia do Cachorro e Praia do Meio onde assisti a um pôr do sol muito bonito. Esse lado da Ilha é a costa denominada: mar de dentro, pois é voltada para o Brasil; e a outra costa é o mar de fora, voltado para a África.

Praia da Conceição e ao fundo Morro do Pico. Fernando Noronha Pernambuco Brasil
Praia da Conceição e ao fundo Morro do Pico. Foto: AJ Imagem

Jantei peixe no Restaurante Cheiro Verde, que fica próximo ao Projeto Tamar, estava muito bom, recomendo. À noite, o Bar do Cachorro é bastante animado com forró pé de serra típico nordestino. Na Vila dos Remédios tem muitos restaurantes inclusive um self service chamado Restaurante Ousadia.

No dia seguinte, fiz o passeio ILHATUR com guia turístico e em grupo, este passeio consiste em entrar em uma pickup 4×4 por toda a llha durante o dia com paradas estratégicas para mergulho e ao final ver o pôr do sol no Mirante do Boldró. Para o passeio foi necessário alugar pé de pato, colete e snorkel, para os mergulhos que estavam incluídos, mas não precisam se preocupar em levar pois é barato e tem grande disponibilidade, o guia já te leva ao lugar certo. É uma experiência fantástica mergulhar na Baía do Sancho, a alta transparência do mar permite grande visibilidade da vida marinha, vi tartarugas, diversos peixes e arraias. O valor do passeio individual na época era R$130,00, porém o pacote do ILHATUR com o passeio de barco ficava R$220,00 então optei pelo pacote, eu fui no período de baixa estação em julho, talvez em outros meses o preço seja diferente.

Para entrar em algumas baías é necessário pagar o ingresso de acesso ao Parque Nacional Marinho que é vendido pelo ICMBio – Instituto Chico Mendes, os preços verifique aqui, esse ingresso eu comprei quando já estava lá.

Pôr do sol - mar dentro Fernando de Noronha
Por do sol – mar dentro Fernando de Noronha Foto: AJ Imagem

Fernando de Noronha tem boa estrutura e quase todos os estabelecimentos aceitam cartão de crédito. Vale ressaltar, que devido à dificuldade de acesso os preços de comida, bebida e combustível são mais altos que outras cidades do nordeste brasileiro. Porém a beleza daquele lugar vale muito o investimento.

O grupo que estava no passeio ILHATUR era bem legal, fizemos amizade e combinamos de ir juntos no outro dia ao passeio de barco. Em outro post contarei sobre o passeio de barco pelo mar de dentro.

Você também fez esse passeio? Tem alguma dica a compartilhar, escreva nos comentários.